http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/issue/feed Revista Científica Faculdade Unimed 2019-07-24T20:08:42+00:00 Equipe Editorial RCFU revistacientifica@faculdadeunimed.edu.br Open Journal Systems <p><strong>A Revista Cientifica Faculdade Unimed</strong> é uma revista <em>online</em> quadrimestral, de acesso aberto e gratuito, que publica trabalhos originais na área: Educação Superior, Saúde, Gestão e Cooperativismo. <strong>A revista</strong> visa publicar artigos inéditos resultantes de pesquisas, de estudos teóricos, de traduções, de resenhas, de reflexões críticas sobre experiências e outros documentos de interesse da área.</p> http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/35 EDIÇÃO COMPLETA 2019-07-24T20:08:42+00:00 admin revistacientifica@faculdadeunimed.edu.br 2019-06-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2019 admin http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/37 APRESENTAÇÃO 2019-07-01T02:31:38+00:00 Eudes de Freitas Aquino eudes@gmail.com 2019-07-01T01:52:53+00:00 Copyright (c) 2019 Eudes de Freitas Aquino http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/39 ENTREVISTA 2019-07-01T02:31:38+00:00 Fernanda Costa fernandacosta@faculdadeunimed.edu.br 2019-07-01T02:19:20+00:00 Copyright (c) 2019 Fernanda Costa http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/26 A atenção integral à saúde no sistema unimed 2019-07-01T02:31:39+00:00 Cloer Vescia Alves cloer@gmail.com Lincoln Cubiça de Carvalho lincoln@gmail.com André Lúcio de Cassias andre@gmail.com <p class="Artigo-Resumo">As diversas mudanças e transformações ocorridas no campo da saúde no século XXI trazem uma série de desafios, entre eles está a necessidade de se adequar os atuais procedimentos padrão de operadoras de saúde às novas necessidades da sociedade, como o envelhecimento da população, a violência e a multimorbidade. Neste artigo, será avaliado como a Unimed poderá se adaptar a essa realidade através da promoção da Atenção Integral à Saúde (AIS), com foco maior na prevenção e na pessoa, substituindo o modelo atual cujo foco está na doença. Primeiramente faremos uma contextualização do cenário de atuação da Unimed, em seguida apresentaremos o histórico e as inovações do modelo da AIS e sugerimos maneiras de implantar este modelo nas Unimeds, destacando suas vantagens e desafios. Por fim, elencamos algumas tendências dos modelos de AIS, especialmente no que tange ao desenvolvimento de novas tecnologias.</p> 2019-06-30T14:37:51+00:00 Copyright (c) 2019 Cloer Vescia Alves, Lincoln Cubiça de Carvalho, André Lúcio de Cassias http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/27 Alta performance em atenção primária contribuindo para o quádruplo objetivo nos sistemas de saúde 2019-07-01T02:31:39+00:00 Fernando Faraco fernando@gmail.com Kirsten Meisinger Meisinger@gmail.com <p>A Atenção Primária é a base e o centro de sistemas de saúde bem-sucedidos. Para garantir o desejável primeiro contato dos pacientes, acesso é um atributo fundamental desafiador, ainda que a maioria dos serviços de atenção primária se esforce para atender às necessidades e demandas por consultas do paciente em tempo hábil. O atendimento em equipe fornece algum alívio do inevitável gargalo de acesso experimentado pelos provedores de cuidados primários. Acesso sem continuidade leva a cuidados fragmentados e custos mais altos por meio de exames duplicados e desnecessários. A continuidade do cuidado realizada pelas equipes é uma estratégia bem-sucedida para orientar e tranquilizar os pacientes quando eles exigem uma interação de cuidado e podem diminuir os cuidados inadequados pelos serviços de urgência. Tecnologias recentes estão facilitando essas novas relações e ampliando acesso para além do presencial, incluindo interações virtuais ou assíncronas. O relacionamento continua sendo a base da atenção primária. Projetar sistemas dentro dos cuidados primários que melhoram o acesso, o relacionamento e a continuidade promovem maior satisfação nos serviços tanto para pacientes quanto para profissionais de saúde.</p> 2019-06-30T16:07:25+00:00 Copyright (c) 2019 Fernando Faraco, Kirsten Meisinger http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/28 Extensão universitária 2019-07-01T02:31:40+00:00 Carolina Resende Costa carolinaresende@gmail.com Anna Gabriela Teixeira ana@gmail.com Marina Moreira de Souza marina@gmail.com <p>O presente artigo é fruto do recente trabalho de implantação do Núcleo de Pesquisa e Extensão (NUPEx) na Faculdade Unimed. Tal percurso envolveu um esforço coletivo e colaborativo, por parte da equipe técnica do NUPEx/Faculdade Unimed, para sistematizar as diretrizes e normas voltadas às atividades de extensão no atual contexto do ensino superior brasileiro. A proposta central deste trabalho é refletir sobre o papel da Extensão Universitária na formação do aluno de graduação, considerando, em especial, a portaria nº 1.350 de 17/12/2018 a qual declara homologado o Parecer CNE/CES nº 608/2018, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação e institui as diretrizes para as Políticas de Extensão da Educação Superior Brasileira. Esse importante marco legal para o campo da extensão universitária sintetiza o trabalho realizado na última década no sentido de conceituar a extensão universitária de forma indissociável ao ensino e à pesquisa e ainda integrar os diferentes segmentos de entidades de educação superior que compõem o Sistema Federal de Educação, contemplando as dimensões avaliativas e regulatórias já em vigência no contexto do ensino superior. O presente trabalho pode ser útil a gestores e agentes mantenedores de Instituição de Ensino Superior (IES), pró-reitores, coordenadores, professores e estudantes interessados em implementar as ações de extensão no âmbito da sua IES. Acrescenta ainda uma reflexão crítica da <em>práxis</em> sócio-histórica da extensão universitária no país.</p> 2019-06-30T21:40:19+00:00 Copyright (c) 2019 Carolina Resende Costa, Anna Gabriela Teixeira, Marina Moreira de Souza http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/29 Metodologia de avaliação de danos corporais em perícias médicas 2019-07-01T02:31:40+00:00 Weliton Barbosa Santos welitonbs@gmail.com Wagner Fonseca Moreira da Silva wagner@gmail.com Duarte Nuno Vieira duarte@gmail.com <p class="Artigo-Resumo">As perícias médicas de Avaliação de Danos Corporais no Brasil, para efeito de indenizações, necessitam de uma harmonização de conceitos e metodologia. O artigo apresenta a metodologia e conceitos utilizados nos países da comunidade europeia que seguem as indicações da Confederação Europeia de Especialistas em Avaliação e Reparação do Dano Corporal (CEREDOC), particularmente em Portugal. São descritos e analisados os clássicos critérios de nexo de causalidade ou imputabilidade médica, assim como os elementos do dano suscetíveis de serem objeto de indenização, designados como parâmetros de danos temporários e permanentes. Na sequência são realizadas reflexões a respeito da necessária harmonização destas avaliações, que devem conter descrições de forma clara, objetiva e pormenorizada do dano corporal, identificar os conceitos e instrumentos usados na avaliação, fundamentando-a, sempre que possível, na consulta de documentos clínicos. Deve, ainda, conter a análise e interpretação do dano corporal sofrido pela pessoa, de modo a permitir a sua compreensão por todas as partes envolvidas. Ao final ressalta-se a importância de cursos de formação para Médicos Peritos e demais especialistas clínicos que tenham interesse nesta matéria, expectativa que vem sendo concretizada pelos esforços, dedicação e solicitude de diversos profissionais de ambos os países e graças ao apoio científico de diversas entidades portuguesas, nomeadamente a Área de Ciências Médico-Legais da Universidade de Coimbra, o Instituto Nacional de Medicina Legal de Portugal, a Associação Portuguesa de Avaliação do Dano Corporal e o Centro de Estudos de Pós-Graduação em Medicina Legal, concretizados em parceria com diversas instituições acadêmicas brasileiras.</p> 2019-06-30T22:17:26+00:00 Copyright (c) 2019 Weliton Barbosa Santos, Wagner Fonseca Moreira da Silva, Duarte Nuno Vieira http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/30 Competências profissionais de um gestor hospitalar 2019-07-01T02:31:41+00:00 Sara Rios Bambirra Santos sara@gmail.com Catulo Soares Miranda catulo@gmail.com Roberta Mayrink roberta@gmail.com <p class="Artigo-Resumo">O objetivo da pesquisa é identificar as competências necessárias a um gestor hospitalar. Utilizou-se a metodologia de pesquisa exploratória, que permitiu a triangulação de três fontes de dados: a percepção dos profissionais que atuam como gestores em organizações de saúde, a percepção dos estudantes do Curso Superior de Tecnologia (CST) Gestão Hospitalar da Faculdade Unimed e o perfil do egresso do CST Gestão Hospitalar da Faculdade Unimed. O artigo conclui que um gestor competente precisa de competências técnicas alinhadas às comportamentais, que podem ser adquiridas por meio da formação acadêmica e/ou experiência profissional. Constatou que ser competente é contingencial, cada contexto demanda uma competência específica.</p> 2019-06-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2019 Sara Rios Bambirra Santos, Catulo Soares Miranda, Roberta Mayrink http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/31 O custeio por absorção e o custeio abc 2019-07-01T02:31:41+00:00 Willian Willian Maciel Martinez willian@gmail.com Marcelo Augusto Nascimento marcelo@gmail.com <p class="Artigo-Resumo">Diversos hospitais desconhecem seu próprio custo e uma parcela deles utiliza o custeio por absorção, porém, esta metodologia pode distorcer o custo final dos serviços prestados devido aos rateios arbitrários. Para tanto, este artigo foi elaborado com o intuito de mensurar e quantificar a diferença real de custo entre duas metodologias de apuração: o custeio por absorção e o custeio baseado em atividades (ABC). O principal objetivo é analisar e demonstrar com riqueza de detalhes todo o processo de aplicação dos medicamentos imunobiológicos pelo custeio ABC.O tema foi abordado de forma qualitativa e seu procedimento técnico é o estudo de caso. No ABC os processos são mapeados de ponta a ponta e demonstram minuciosamente os detalhes e custos de cada atividade desenvolvida na instituição. O método de custeio baseado em atividades demonstrou ser mais eficaz no que tange ao grau de assertividade das informações.</p> 2019-06-30T22:55:53+00:00 Copyright (c) 2019 Willian Willian Maciel Martinez, Marcelo Augusto Nascimento http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/32 Ouvidoria e saúde 2019-07-01T02:31:42+00:00 Margareth Mauricio Monteiro margareth.monteiro@gmail.com <p>O texto objetiva apresentar a Ouvidoria na Saúde como um caminho possível à vulnerabilidade do indivíduo na busca de um atendimento mais humanizado, garantindo direitos sociais e, principalmente, a busca da cidadania. Sugere uma reflexão para a tendência mercadológica de transformar pessoas e a própria saúde em mercadoria. Neste caminho valores são ressignificados e o sujeito transformado em objeto de consumo.&nbsp; O referencial teórico adotado foi principalmente as análises do sociólogo e filósofo Zygmunt Bauman no livro Vida para Consumo.</p> 2019-06-30T23:14:26+00:00 Copyright (c) 2019 Margareth Mauricio Monteiro http://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/33 Gerenciamento de risco e visitas da qualidade no hospital 2019-07-01T02:31:42+00:00 Diego Augusto Oliveira diegoaugusto@gmail.com Priscila Monteiro Tavares de Lavor priscila@gmail.com Filipe Albuquerque Bezerra filipe@gmail.com <p class="Artigo-Resumo">Estudo com objetivo de relatar a experiência de profissionais no gerenciamento de riscos. Utilizou-se metodologia qualitativa composta por momentos de avaliação da equipe e da experiência do paciente. Esta rotina obteve resultados positivos quanto a motivação do clima de segurança observados a partir da maior adesão aos protocolos, indicadores e mitigação de riscos. Esta iniciativa tornou-se efetiva por permitir monitoramento da segurança do paciente, mantendo ativa a consciência dos profissionais e orientação do usuário para sua incorporação na atenção.</p> 2019-06-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2019 Diego Augusto Oliveira, Priscila Monteiro Tavares de Lavor, Filipe Albuquerque Bezerra