A RELAÇÃO DO ESTRESSE EM ENFERMEIROS NO TRABALHO HOSPITALAR

  • Ciely Ferreira Goedert Unimed

Resumo

Este trabalho visa realizar um levantamento sobre a predominância dos sintomas físicos e psicológicos de estresse dos profissionais de enfermagem que atuam em hospitais da cidade de Ponta Grossa/PR. Como método para o alcance do objetivo foi confeccionado e aplicado um questionário sócio demográfico e também aplicado o instrumento ISE – Inventário Sintomas de Estresse construído por Ana Maria T. Benevides Pereira & Bernardo Moreno Jiménez (2000), a ferramenta foi validada estatisticamente alcançando um alfa de Crombach de 0,9236. O ISE é constituído por escala de Likert de 5 pontos, indo de 0 como "nunca" a 4 como "assiduamente". A população escolhida foi de 103 profissionais de enfermagem na qual foram questionados uma amostra de 76 enfermeiros com o grau de confiança de 95% sobre a população. Em relação aos resultados alcançados na pesquisa pode-se afirmar que atualmente os enfermeiros apresentam predominância de sintomas físicos em média de 1,99 e psicológicos em média 1,95, considerado um nível médio de estresse. O resultado é extremamente grave, pois dentro dessa média provavelmente existam pessoas com nível baixo e outras com nível elevado, isto tendencia uma estabilidade ao longo do tempo para um nível alto de estresse.

Publicado
2020-02-29